Brasileiros ricos que se mudam para Portugal atraem gestores de fortunas do Brasil

A notícia está a ser avançada pela Bloomberg. Bancos como o Itaú-Unibanco Holding e o Banco Bradesco estão estudar abrir escritórios de gestão de patrimónios em Portugal, no meio de uma onda de brasileiros ricos que se estão a mudar para o nosso país.

“Estamos a estudar a possibilidade de ter lá alguns banqueiros”, disse Luiz Severiano Ribeiro, chefe da divisão de private banking global (Global Head of Private Banking) do Itaú, o maior gestor de fortunas do Brasil. “Temos clientes que se mudaram para Portugal e acreditamos que a nossa vantagem é estar próxima de nossos clientes”.

“Ainda não há uma decisão final, mas acredito realmente que existe um negócio para nós em Portugal”, disse Renato Ejnisman, Global Head of Private Banking do Bradesco.

“Faria sentido para nós ter uma presença lá”, diz o responsável pela gestão de patrimónios do banco brasileiro.

A Bloomberg diz que a XP Investimentos, a maior corretora brasileira, e o Banco BTG Pactual já estão a arrancar com negócios de private banking em Portugal.

O artigo faz ainda referência aos vistos gold, dizendo que Portugal está a atrair estrangeiros com incentivos fiscais e autorizações de residência para não europeus que compram imóveis no valor de mais de 500 mil euros.

Para os brasileiros, a língua comum é uma vantagem adicional, assim como a reputação de segurança de Portugal – ficou em terceiro lugar no Índice Global de Paz de 2019, o que compara com o 116º lugar em que ficou o Brasil, diz a Bloomberg.

A notícia avança que havia 105.423 residentes brasileiros em Portugal no final de 2018, um aumento de 23% em relação ao ano anterior, segundo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. Cerca de 28 mil brasileiros imigraram para cá no ano passado, mais do dobro do número que fez a mudança em 2017.

Fonte: Jornal Económico