Número de homicídios no Brasil diminui 22% no primeiro semestre

Brasília, 02 set 2019 (Lusa) — O número de mortes violentas no Brasil no primeiro semestre do ano foi de 21.289, uma diminuição de 22% comparativamente ao período homólogo de 2018, foi hoje anunciado.

Os dados, do “Monitor da Violência”, um trabalho do portal de notícias G1, do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, revelam que o nordeste do país é a região com a maior diminuição de homicídio, com uma queda de 27%.

No mesmo período de 2018, registaram-se 27.371 homicídios violentos, 6.082 mortes mais do que as deste ano.

Apesar da diminuição, a investigação indica que no Brasil há uma morte violenta a cada 12 minutos, numa média 118 por dia.

Segundo o G1, todos os 26 estados brasileiros, assim como o Distrito Federal, apresentaram uma redução de homicídios no primeiro semestre, sendo que os estados do Sergipe, Rio Grande do Norte e Ceará registaram diminuições superiores a 30%.

O Estado nordestino do Ceará, que em janeiro deste ano enfrentou uma grave onda de violência, é responsável por um quinto da redução dos homicídios no Brasil.

Em entrevista à agência Lusa em junho passado, o governador do Ceará, Camilo Santana, já esperava uma diminuição do número de mortes violentas no Estado, devido a um plano delineado pelo seu governo, a partir de 2015.

“Quando eu assumi o governo [estadual] em 2015, nós convidámos os melhores especialistas na área da segurança do Brasil e construímos um plano para o Ceará, a médio e longo prazos. (…) Contratámos mais pessoal, investimos em inteligência, tecnologia, estruturas. Além das ações de prevenção, delineámos uma intervenção muito forte no sistema prisional, que é muito frágil”, explicou o governador, acrescentando que as cadeias brasileiras transformaram-se em “escritórios do crime”.

Nos últimos quatro anos, Camilo Santana determinou a construção de novas unidades prisionais e aumentou em quase 80% o número de agentes prisionais.

“Nunca tive dúvidas de que essas ações iriam ter uma repercussão fora, para a sociedade e para as ruas, e os dados estão a mostrar isso. Mostrámos que quem manda é o Estado durante os episódios ocorridos em janeiro”, frisou o governador do Ceará.

O ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Sergio Moro, atribuiu a diminuição no número de mortes violentas no país a esforços de governos locais e do executivo federal, como recordes de apreensão de droga e transferência de chefes de fações criminosas para prisões federais como medidas que surtiram efeitos nos índices de criminalidade, numa entrevista à ‘GloboNews’.

“Os crimes continuam a cair em todo o país, embora ainda precisem de cair muito mais”, escreveu Moro na rede social Twitter, partilhando os dados do “Monitor da Violência”.

A diminuição de crimes violentos registada no primeiro semestre deste ano reflete a tendência de decréscimo já notada nos primeiros dois meses de 2019, quando os homicídios no país reduziram 23% face ao mesmo período de 2018.

Fonte: Plataforma