Rasa Engenharia aposta no imobiliário português

A Rasa Engenharia chegou a Portugal no final de 2017, há pouco mais de 3 anos e já soma vários projetos de sucesso em territorio português. Diante o cenário da pandemia mundial, João Carlos Rodrigues, sócio da Rasa, antevê um cenário positivo para o país e para o próprio setor de real estate, referindo e citando o empresário Jorge Paulo Lemann “ O que eu mais gosto é que toda crise é cheia de oportunidades”, cujo assina embaixo.

Fale-nos um pouco o percurso da RASA Engenharia no Brasil e em Portugal

A RASA é formada por engenheiros que obtiveram grande expressão nas áreas técnicas de Engenharia e Construção das grandes empresas brasileiras. Temos uma bagagem de mais de 5 milhões de m² de construção residencial e comercial. Com o fim dos jogos Olímpicos, em 2016, onde tive o privilégio de ser o Diretor Geral do canteiro da Vila dos Atletas Olímpicos, o Rio de Janeiro entrou num declínio muito forte. A Incorporação Imobiliária (Real Estate), travou por completo. Montamos a RASA em 2016. Nosso foco é o atendimento personalizado, sustentável, com qualidade e garantia de cumprimento do prazo. No final de 2017, vimos que seria uma ótima estratégia estender atuação em Portugal. Hoje temos bons projetos tanto no Rio quanto em Lisboa.

Aquando a chegada ao território português, estabeleceram parceria com alguma empresa local? Se sim, qual?

Não foi necessário! Tínhamos que entrar com extrema atenção nos mínimos detalhes e cuidado na divulgação e trato da marca RASA. Nossa estratégia de primeiro momento foi de nos apoiarmos inicialmente na nossa rede de relacionamentos com vistas a oferecer aos nossos Clientes brasileiros uma opção facilmente rastreável a todos aqueles que estavam imigrando para Lisboa e necessitando de nossos serviços. Obviamente nossos bons contatos com ateliês de arquitetura foram fundamentais para vencermos no primeiro ano! Para o segundo ano em diante, naturalmente e através de práticas sociais de convívio e do sucesso das indicações das primeiras obras, sabíamos que atingiríamos também o cliente português. Estamos no caminho certo! Hoje, estamos quase a igualar os contratos entre clientes brasileiros e portugueses. Felizmente, estamos sendo extremamente bem acolhidos pelos irmãos portugueses.

Houve alguma dificuldade na contratação de mão de obra em Portugal?

A RASA vende atendimento e know-how de Engenharia. Somos uma empresa extremamente enxuta. Investimos demasiado nos líderes de canteiro, como os engenheiros e encarregados. Soma-se a equipa os parceiros fornecedores e subempreiteiros. Dedicamos 50% de nossa agenda Comercial na busca de Clientes e os outros 50% na busca de fornecedores e parceiros. Sempre tivemos obsessão pelo equilíbrio perfeito dessa busca. Do que vale ter contratos sem parceiros de negócios? Da mesma forma, do que vale ter parceiros de negócios sem contratos? Não viemos para Portugal em busca de aventuras. Viemos a dar um passo de cada vez numa caminhada longa, contínua e ascendente.

Na vossa opinião, qual a perspetiva de crescimento do setor imobiliário para os próximos dois anos?

Muito preocupado com o Brasil e bastante confiante quanto a Portugal! Em linhas gerais, o plano economico do governo brasileiro está muito ameaçado pela irresponsabilidade do Presidente brasileiro . O Covid-19 reduziu as esperanças de recuperação econômica que começava a dar sinais de recuperação. Já Portugal, a despeito das dificuldades impostas pela crise advinda do Covid-19, tem dado um exemplo ao mundo na condução da pandemia. Lideranças unidas, com mensagens claras, propostas inteligentes e uma população educada e aceitando as diretrizes das lideranças. Isso faz com que se torne cada vez mais um país desejado. Descobriram Portugal e a pandemia não vai perturbar o caminho do crescimento.

A atual tendência dos países em alcançar uma cadeia produtiva mais autónoma pode trazer novas oportunidades pós-covid?

A pandemia está dando uma lição para a humanidade, deixando claro que o capitalismo predatório não tem mais vez. Na busca do lucro pelo lucro, indústrias se instalaram na China em troca de produção barata sem o mínimo de preocupação com as condições de trabalho e do meio ambiente. O mundo estava necessitando de um freio de arrumação. O Covid 19 veio nos mostrar a importância da busca por um equilíbrio social e econômico, e das oportunidades locais de trabalho como parte deste equilíbrio. A Globalização tem, como tudo na vida, pontos excelentes e outros nem tanto. O novo equilíbrio tende a propor sociedades mais auto-suficientes. Vejo Portugal, por conta de seu nível educacional, com reais oportunidades de finalmente incrementar seu Parque Industrial .  Soma-se a todo esse contexto, o maravilhoso projeto da Comunidade Europeia com o Portugal 2020.

Uma vez que o crescimento do setor imobiliário dos últimos anos foi impulsionado pelo investimento estrangeiro e pelo turismo, há uma expectativa de mudança diante das restrições impostas pela pandemia. Tanto a imprensa internacional como a portuguesa reportam o sucesso de Portugal no controle à pandemia e como uma vantagem competitiva para atrair investimento para o país. Qual é a expectativa da Rasa relativamente a recuperação do investimento internacional?

Conforme comentei acima, a pandemia não vai esmorecer a escalada de Portugal da direção de se tornar uma das melhores, se não a melhor, opção de vida no planeta! As pessoas, o clima, as praias, a cultura, a luminosidade única do brilho dos raios de sol, a maturidade da democracia  e o baixo custo de vida tornam Portugal, único. O Golden Visa deve continuar. Portugal tem muito a crescer. E tenho certeza que o cidadão português, com sua sensível percepção de qualidade de vida e amor a sua Cultura, jamais permitirá que esse crescimento seja desordenado e predatório.

Segundo o idealista, a procura de moradias subiram em comparação aos apartamentos, resultante da procura por mais espaço, pátios, varandas etc. Em que medida,  a Rasa vê que possa ser de fato uma tendência nos próximos anos? Já é possível antever outras tendências na habitação?

Não apenas “O Idealista” como diversas outras empresas especializadas em Real Estate já identificaram essa tendência. Por mais que desejemos mudanças estruturais do mundo pós Covid 19, sabemos que as transformações não são tão velozes assim. O mundo inteiro foi estudar o assunto surtos e pandemias e descobriu que o perigo está bem mais próximo do que imaginávamos. Pesquisando e história recente, pesquisamos melhor o que foram Sars, Mers, Ebola, H1N1 e agora o Covid 19. O cidadão comum vai sim, a partir dessa pandemia, se fechar mais no conforto de seu lar.  “Conforto” passa a ter mais força que “praticidade”. As pessoas vão valorizar mais o conforto de seus lares.

Qual será o contributo da Rasa diante deste novo cenário cenário?

A RASA vai se colocar junto aos seus Cientes como o agente transformador de CONFORTO, de desejo em realidade.

Pela vossa experiência e tendo em conta o cenário, aconselha o investimento na area imobiliária a investidores estrangeiros? Se sim, porque?

Respondo essa pergunta citando uma entrevista do empresário Jorge Paulo Lemann ao jornal “O Globo” de 16.04.2020: “ O que eu mais gosto é que toda crise é cheia de oportunidades”. Eu assino embaixo!

rasaengenharia.com

Fonte: Redação