O turismo brasileiro está confiante no crescimento e na recuperação do sector para o fim de 2022 e o início do próximo ano, considerado período de alta temporada. Conforme o boletim do terceiro trimestre da Braztoa, a Associação Brasileira das Operadoras de Turismo, a expetativa de crescimento é de 53% em relação ao verão passado.

Segundo o estudo feito em parceria com a consultoria Sprint Dados, 40% das operadoras acreditam que o sector vai recuperar a faturação anterior à pandemia ainda este ano, enquanto 36,4% já registaram essa superação, com destaque para as vendas de viagens internacionais, que representaram 57% das negociações efetuadas.

Para Roberto Haro Nedelciu, presidente da Braztoa, o número não representa diminuição do turismo nacional, mas sim uma retomada das viagens internacionais:

“Parte desse comportamento também pode estar relacionado ao fato de o turismo doméstico, que foi o primeiro a despontar no período pós-pandemia, já ter seguido seu curso de consolidação, enquanto as viagens para fora do país, que começaram um pouco depois, ainda tenham um volume maior de demanda reprimida que está sendo realizada”, explica.

Para o presidente, o comportamento também pode estar a ser influenciado por outros fatores, como a variação cambial, o maior ticket médio das viagens internacionais e até o processo inflacionário que elevou os valores e, consequentemente, a faturação.

Nos destinos mais procurados fora do Brasil, estão: Lisboa (Portugal) e Orlando (Estados Unidos) em primeiro lugar, seguidos de Nova York (Estados Unidos) e Paris (França) na segunda colocação, e Barcelona (Espanha) e Buenos Aires (Argentina) em terceiro lugar.

As viagens internacionais acontecem na sua maioria entre outubro e dezembro deste ano (32,2%), enquanto 26,8% já foram realizadas no terceiro trimestre, 20,8% ficaram para os três primeiros meses de 2023 e 20,2% deverão acontecer ao longo do próximo ano.

No país, o ranking dos lugares mais procurados contém Salvador (BA), em primeiro lugar, seguida de Maceió (AL), São Paulo (SP) e Porto de Galinhas e Recife (PE) na segunda colocação, enquanto Fortaleza (CE), Gramado (RS), Natal (RN) e Rio de Janeiro (RJ) ocupam o terceiro lugar.

O boletim ainda destaca que as remarcações de passagens e pacotes estão perto de acabar, já que 86,6% dos embarques nacionais e 82,1% das viagens internacionais são de novas vendas, número que demonstra que as operadoras estão perto da totalidade das entregas das viagens adquiridas antes da pandemia.

Fonte: CNN Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *