Vista Alegre e Bordallo Pinheiro juntam-se numa coleção linda inspirada na Amazónia

Numa viagem ao Brasil, uma turista norte-americana comprou algumas peças à Ecoarts, uma associação brasileira que produz e vende artigos criados por índios da Amazónia. Também cliente da Vista Alegre, achou que uma ligação com a marca portuguesa faria todo o sentido e fez essa sugestão.

“Nós entrámos no site da Vista Alegre e vimos que havia uma residência artística [no Brasil]. Inscrevemo-nos e, em cinco horas, a Vista Alegre disse: queremos vocês aqui”, explicou a brasileira Ana Martins, da Ecoarts, em entrevista ao site da Casa da América Latina.

Estava dado o primeiro passo para a Coleção Amazónia, o resultado de uma colaboração criativa entre a Vista Alegre e a Ecoarts. Nas lojas estão agora mais de 70 peças inspiradas na maior floresta tropical do mundo, fundindo materiais e técnicas.

Com o objetivo de alertar para a preservação da floresta amazónica, património natural da humanidade, uniram-se pela primeira vez desde a fundação da Vista Alegre, em 1824, várias marcas do grupo Visabeira (Vista Alegre, Bordallo Pinheiro e Casa Alegre).

“Conhecer para preservar” foi o ponto de partida para a criação de uma coleção que une o passado, presente e futuro. Juntaram-se assim os desenhos do século XVIII do naturalista Alexandre Rodrigues Ferreira e os adornos da associação sem fins lucrativos Ecoarts Amazónia, reinterpretados com a Vista Alegre.

Parte do lucro das vendas irá para a plantação de árvores de fruto em aldeias, áreas rurais e cidades da floresta brasileira. Às porcelanas da Vista Alegre juntam-se as faianças da Bordallo Pinheiro e a cerâmica grés da Casa Alegre — cada uma das três marcas tem peças distintas, embora pertençam todas à mesma coleção.

Os produtos da Vista Alegre foram inspiradas pela obra “Viagens Philosophicas”, do brasileiro Alexandre Rodrigues Ferreira (1756 — 1815). Foram utilizados mapas e desenhos de plantas e animais na loiça deste serviço de jantar, chá e café, objetos de decoração, peças em vidro e cristal, iluminação e presentes.

A Casa Alegre junta artigos em grés (material feito de argila muito fina e branca — mas não tão branca como a porcelana) inspirados nas cores das plantas e flores e nas texturas e formas exóticas das suas sementes e frutos.

Já a Bordallo Pinheiro tem o seu reconhecido traço naturalista representando as texturas, cores, formas e brilhos únicos da flora amazónica. Para já, a coleção está disponível nas lojas Vista Alegre do Chiado (Lisboa), Porto e Coimbra.

Fonte:
https://nit.pt/vanity/lojas-e-marcas/colecao-amazonia-junta-pecas-da-vista-alegre-bordallo-pinheiro-e-casa-alegre